top of page
Buscar
  • Foto do escritorAbranet

Por nuvem e IA, empresas brasileiras renovam parque de TI


Inteligência Artificial e nuvem

Mais da metade dos CEOs brasileiros - 53% - identifica a modernização tecnológica, ou seja a renovação do parque de TI das suas empresas, como principal prioridade de negócios, ficando, inclusive, à frente de segurança cibernética e privacidade de dados (49%) e da produtividade (44%). Os dados são do estudo global do IBM Institute for Business Value, ‘CEO decision making in the age of AI, Act with intention’, divulgado pela IBM Brasil.

O levantamento mostra ainda que os CIOs, ou gestores de tecnologia, retomam o protagonismo na tomada de decisões: 34% dos CEOs brasileiros apontam os CIOs como responsáveis pela decisão de compra. Mas o levantamento também ponta que o COOs (chefe de operações) e os CFOs (gestores financeiros) têm grande poder na decisão final sobre compras de tecnologias.

O estudo da IBM aponta ainda que os CEOs brasileiros enfrentam desafios relacionados à gestão de dados das suas companhias, incluindo cálculos pouco claros (44%) e a dificuldade de identificar insights significativos desses dados (41%) – ambos resultados acima da média global. Além disso, 71% dos entrevistados no País acreditam que eliminar a distância entre os dados e os tomadores de decisão é mais importante do que alterar onde as decisões ocorrem.

Entre as ações cruciais para melhorar a forma que se mede o desempenho de uma organização, os CEOs brasileiros mais uma vez colocaram a importância dos dados no topo da lista: a padronização dos processos de coleta de dados e relatórios (44%), promoção de uma cultura orientada por dados ou data driven (40%) e geração de melhorias nas plataformas de dados (39%) foram as três principais escolhas dos executivos nacionais – e com percentuais acima das médias globais registradas pela pesquisa.

O estudo mostra também que, mesmo com as dificuldades de lidar com os dados gerados nas companhias, 76% dos CEOs que atuam no País confiam nos dados operacionais internos como principal fonte para a tomada de decisões estratégicas.

“Hoje, pensando em uma jornada de IA generativa para negócios, vale dizer que já é possível se conectar aos dados em minutos, obter insights confiáveis de forma rápida e ainda reduzir custos de armazenamento. Portanto, estamos presenciando esta capacidade de gerir e extrair insights significativos dos dados se tornar muito mais eficiente”, explica Marco Kalil, líder de IBM Consulting no Brasil. Acesse o estudo completo.

1 visualização0 comentário

Commentaires


bottom of page